Você já ouviu falar em Programa de Sucessores? Talvez não mas, frequentemente se houve falar de problemas que as empresas vivenciam em função de não se ter sucessores mapeados e preparados para posições fundamentais à organização.

A elaboração de um programa de sucessão na empresa, ainda que de forma simplificada, é comumente deixado de lado por se considerar algo complexo. 

Quer explorar um pouco mais o tema? Continue a leitura!

 

O que acontece quando uma empresa não possui um programa de sucessores

Quem não ouviu falar da enorme crise que uma determinada empresa passou quando, por uma fatalidade, perdeu o seu fundador?

Em algumas outras situações, dois membros da diretoria, ou um grupo de gestores, foram embora. Procuravam melhores lugares para trabalhar ou, até mesmo melhores bônus e/ou salários, e deixaram a empresa numa situação constrangedora.

Quais foram os transtornos, ou até mesmo a perda de competitividade de uma empresa ao perder um determinado especialista?

Fatos como estes que deveriam ser normais, se transformam em enormes dores de cabeça quando a empresa afetada, não possui sucessores identificados e qualificados para substituir aqueles profissionais que por qualquer motivo se foram.

Com certeza todos nós que lidamos com gestão já soubemos ou até mesmo participamos de alguns destes inconvenientes.

Estas “estórias” que correm nos bastidores dos negócios, algumas vezes debatidas até pelos meios de comunicação, sempre tem uma frase no final: eles não estavam preparados para a perda, não prepararam os sucessores.

A preparação de sucessores significa ter alguém pronto, formado, qualificado para substituir alguém que ocupe uma posição chave, quando a necessidade bater à porta.

 

Riscos ao não se atentar para a sucessão

Como demonstra bem um dito popular “risco calculado é risco corrido”. Tratemos então de identificar os nossos riscos e “pôr uma tranca na porta, antes que seja arrombada”.

É impensável que ainda existam empregados que “não podem sair de férias, adoecer, ou mesmo serem promovidos para cargo mais significante” em alguma empresa.

Quantas empresas ainda não têm planos para substituir empregados que ocupam “cargos chave” e correm o risco de ver a sua participação em um determinado mercado ser abalada por uma tragédia?

A inexistência de um programa de sucessores causa danos à gestão, e algumas vezes enormes prejuízos ao negócio.

Vamos entender como funciona um programa de sucessão para não corrermos riscos desnecessários?

 

Programa de sucessores

O planejamento de sucessão em uma empresa não é uma tarefa complicada ou custosa.

De forma simplificada, as principais etapas de implantação de um programa de sucessores são:

  • Identificação dos cargos chave.
  • Identificação dos possíveis sucessores.
  • Capacitação dos possíveis sucessores.
  • Monitoramento do programa.

     Identificação dos cargos chave

Cargos chave ou aqueles que precisam ter sucessores devidamente preparados, são aquelas posições que detém um conhecimento fundamental para a gestão, para um processo, ou às vezes aquele que detém o histórico fundamental da empresa. Algumas vezes possui o conhecimento específico de fórmulas ou patentes detidas pela empresa.

Normalmente esses cargos são de difícil reposição, pois não se encontra profissionais com a devida capacidade disponível no mercado. Ou com salário compatível com a realidade da empresa, e com a devida experiência necessária para a organização.

Independentemente do nível hierárquico, este profissional é vital para a empresa. Além disto seu custo de recrutamento/reposição com certeza será alto.

É importante não confundir este tipo de cargo com um bom profissional, com alguém que exerça uma importante liderança, ou com aquele mais experiente ocupante que algum cargo já teve.

Portanto, é necessário identificar corretamente os cargos chave para poder elaborar o seu programa de reposição/sucessão.  

     Identificação dos possíveis sucessores

Esta etapa consiste no mapeamento dos profissionais da empresa que possuem as qualidades pessoais necessárias aos cargos chave: competências, habilidades e outras características inerentes à função.

     Capacitação dos possíveis sucessores

Após identificação daqueles cargos que necessitam ter sucessores devidamente preparados, estrutura-se um planejamento. O objetivo principal deste planejamento é capacitar os empregados identificados como possíveis sucessores.

Esta parte, talvez a mais difícil, necessita de criteriosa análise dos passos, formação, exposição e demais medidas que realmente preparem os identificados para sucederem os atuais ocupantes dos cargos chave.  Os balizadores da etapa são os requisitos do cargo chave e as qualidades profissionais e pessoais do provável sucessor.

     Monitoramento do programa

O monitoramento durante todo o processo é necessário em função da dinâmica da organização em relação aos cargos chave e aos possíveis sucessores.

Movimentações de pessoal com impacto no programa, como rotações, desligamentos, etc. são parte do dia-a-dia de uma organização. Elas interferem no monitoramento do programa assim como novos negócios e reestruturações.

 

Concluindo

A execução do programa (devidamente monitorado pela cúpula da empresa e periodicamente revisto) deverá preparar então os sucessores identificados para a futura missão ou cargo previsto.

Como se viu a sucessão na empresa é fundamental para se evitar riscos desnecessários. E, principalmente,  garantir a sucessão harmônica na empresa.

Vamos implantar um programa de sucessores ?

Se você gostou deste texto leia também “Desenvolvimento Profissional: Vale a empresa investir”.

Carlos Wilkes e Antonio Duarte são consultores na área de Recursos Humanos.