A gestão dos recursos humanos dispõe de uma ferramenta poderosa e que tem sido, às vezes, utilizada de forma equivocada, trata-se da avaliação de pessoas.

Como resultado, empresas convivem com empregados desmotivados, equipes desbalanceadas, alto espírito de competição entre seus integrantes, prazos não cumpridos e resultados pífios. Estes “desencontros” são relatados por gestores nas rodas de amigos e muitas vezes fazem parte de empresas que possuem a ferramenta de avaliação.

Porque tudo isso acontece? Saiba mais…

O que precisaríamos conhecer para dissipar o temor das intervenções inadequadas?

Primeiramente conhecer as variáveis que sustentam um sistema de avaliação de pessoas, para depois passarmos para sua discussão. Várias perguntas podem ser feitas e, suas respostas podem traduzir a eficácia procurada.

Previamente temos de saber que às vezes os sistemas e as ferramentas de gestão, pregam primeiramente o alcance de resultados que muitas vezes não correspondem aos recursos que são disponibilizados aos gestores e a sua equipe.

Portanto, primeiro a análise do básico, para em seguida podermos ou não, atestar a qualidade e eficácia das ferramentas de avaliação.

A base de uma avaliação de pessoas

A gestão dos recursos humanos suporta-se através:

  • da consistência do time,
  • da produtividade das pessoas, e
  • nos resultados efetivamente alcançados por uma equipe.

Este trinômio forma a base em que se sustenta um bom gestor: formar uma boa equipe, fazê-la produtiva e se tornar um time vencedor alcançando as metas e resultados previstos.

  • Como tratar da coesão e consistência de uma equipe?

A resposta lógica se traduz no conhecer as características individuais que permitam aglutinar os diversos desejos individuais.

  • Como conseguir uma produtividade no mínimo deejável?

É uma falácia falar sobre produtividade que alguns participantes de um grupo possuem, e que podem levar a gerência A ou B a alcançar níveis de produtividade.

Obrigatoriamente voltaremos a passar por cada peça/indivíduo desta engrenagem chamada equipe.

Não se consegue produtividade através de um ou dois membros de um time. Produtividade se consegue com a “inteireza” da equipe. É com um membro da equipe suportando, auxiliando, ensinando, compartilhando com os demais que se alcançará a tão almejada produtividade.    

  • Como tornar os resultados mais efetivos para a organização?

Resultados e metas podem até ser alcançados por alguns profissionais de um grupo, mas, com certeza, somente com o engajamento de todos, com espírito de equipe e um bom ambiente de trabalho, os resultados serão mais efetivos para a organização. As metas individuais são importantes contudo as metas de equipe merecem especial atenção.

O que precisa ser medido?

Conhecer as características de seus liderados, avaliar suas habilidades, seus conhecimentos técnicos e sua produtividade são fundamentais para que um gestor possa, com êxito, alcançar os objetivos e metas estabelecidos.

Portanto, sem avaliação de pessoas, formal, sistemática e objetiva, dificilmente o gestor conseguirá alcançar os resultados que a empresa deseja dele.

Ferramentas como avaliações de desempenho, de performance, diagramas de resultados pessoais, análise de potencialidades, perfil de habilidades, competências e inteligência emocional, entre tantas outras, têm sido utilizadas na tentativa de classificar os empregados.

Qual ferramenta a ser adotada?

A escolha de um programa/sistema de avaliação e consequentemente de suas ferramentas, deverá ser precedida de uma análise dos processos, dos objetivos e das características da empresa e, realizada por especialistas.

Esta detecção implica em uma análise profunda e buscará sempre atender ao ambiente do trabalho e dos empregados. Pois um bom ambiente de trabalho e, uma equipe motivada, constitui o elo fundamental para o alcance de metas, resultados e produtividade.

Como se obtém bons resultados?

Bons resultados para a empresa e para os empregados são obtidos quando:

  • foi feita uma boa análise de cenário na empresa,
  • houve a melhor escolha de indicadores,
  • houve monitoramento dos mesmos,
  • houve constante comunicação do monitoramento aos empregados,
  • o instrumento de avaliação foi adequado à estratégia da empresa e ao público-alvo.

 

Com uma verdadeira equipe e objetivos claros podemos sim alcançar os resultados desejados, e a avaliação de pessoas se tornar uma ferramenta de gestão.

Se você gostou deste texto leia também “Desenvolvimento Profissional : Vale a empresa investir”.

Carlos Wilkes e Antônio Duarte são consultores de Recursos Humanos